Hurley Pro | Dia 4 | E os destaques são…

publicado há 2 anos por 0

HURLEY-PRO-DIA-4-QUARTOS-DE-FINAL

O Hurley Pro voltou à água com mais um dia incrível de prova! Podes rever todas as ondas, heat a heat, no heat analyzer AQUI mas a ONFIRE escolheu mais alguns momentos para destacar nestes dias de prova.

1 – O Superheat do campeonato foi brasileiro! Lembram-se do Superheat em Jeffreys Bay que juntava 15 títulos mundiais numa bateria? Enquanto que em Jeffreys nenhum dos competidores conseguiu fazer notas excelentes e Medina, que era o que tinha menos títulos venceu neste primeiro heat do round 4 Toledo, Ítalo e Pupo abusaram das direitas de Trestles e qualquer um dos três poderia ter vencido. No fim foi Filipe Toledo que levou mais uma bateria, colocando-se numa excelente posição para atacar a liderança do circuito.

2 – A manobra de Kelly Slater foi o momento mais mediático da WSL desde o shark attack. Nada como um pouco de polémica para fazer a social media mexer. Kelly deu um aéreo impressionante e o que é certo é que mesmo não tendo acertado a 100% recuperou e surfou a onda até ao fim. Os júris não contabilizaram a manobra como acertada e deram 4.17 pontos. Slater não se queixou mas a “web land” pegou fogo. Horas depois Kelly era eliminado por Mick Fanning e avisava que provavelmente irá faltar à perna europeia pois está fora da disputa pelo título e tem algumas lesões para recuperar antes de Pipeline.

3 – Os “velhotes” do Heritage Series surfam melhor que 75% dos surfistas do mundo. Shaun Thomson parecia um “grom” nas direitas de Trestles, aplicando bons surf e carves de rail e foi claramente o melhor surfista do grupo. Cheyne Horan também estava em boa forma e mesmo as restantes lendas, Wayne Bartholomeu, Simon Anderson e Mike Ho, proporcionaram um bom espectáculo. Claro que ao lado dos surfistas do WCT o “gap” era gigante, mas num line up normal no meio de “comuns mortais” seriam possivelmente os melhores surfistas na água apesar de andarem pelos 60 anos.

4 – O primeiro heat dos quartos de final vai ser um grande confronto de surf de rail VS progressivo. Toledo, o rei dos aéreos, VS Parkinson, o mestre do surf de rail, numa onda em que dá para fazer os dois tipos de surf? Ambos já usaram a sua fórmula neste evento para “sacar” notas excelentes por isso a prova deve abrir com um potencial Superheat em que é difícil escolher um favorito!

Acompanha o próximo dia de prova em directo AQUI!

Comentários