Apesar de ter sido eliminado depois de um heat dominador, Fernandes, assim como Fonseca e Henrique, garantiu importantissímos pontos para Portugal!

Com ondas de meio metro sólido e eventuais sets maiores, e depois de um dia que colocou Portugal na liderança, o sexto dia de competição na Costa Rica começou com o round 4 do evento principal. Neste tínhamos Guilherme Fonseca no primeiro heat e, no segundo, Pedro Henrique. Ambos foram heats muito renhidos mas em ambos os portugueses presentes conseguiram garantir a passagem de mais uma fase e importantes pontos para solidificar a liderança do nosso país neste ISA World Surfing Games.

Pedro Henrique abusou do seu surf performance para se juntar a Guilherme Ribeiro nas meias finais. Ambos os resultados ajudaram a garantir a liderança de Portugal no final deste sexto dia. Photo by ISA I Evans

Pedro Henrique abusou do seu surf performance para se juntar a Guilherme Ribeiro nas meias finais. Ambos os resultados ajudaram a garantir a liderança de Portugal no final deste sexto dia. Photo by ISA | Evans

Mais forte que Guilherme Fonseca foi só mesmo Francisco Bellorin, e para o round de respescagem foi Carlos Munoz e Takamira Nakamura. Já Pedro Henrique foi mesmo o mais forte do seu heat, passando-o com em primeiro lugar e com a nota mais alta, um 7.23 pontos.

Guilherme Fonseca e Pedro Henrique encontram-se ambos no round 6 e no mesmo heat, o segundo. Com eles está também o peruano Lucca Messinas.

Após o evento principal, seguiu-se o quinto round das repescagens e no segundo heat estava o português Eduardo Fernandes. Edu começou o heat para a direita, fazendo uso do seu preciso backside. Na sua melhor onda de backside, Eduardo encaixou rasgada atrás de paulada e paulada atrás de rasgada para conseguir um excelente 7.67 e uma sólida liderança. Os seus adversários tinham também todos eles uma nota sólida mas Eduardo decidiu troca o backside pelo frontside e depois de um bom laybacl, uma paulada forte e um blow tail na junção, adicionou um 7.63 ao seu 7.67, e vincou ainda mais a sua presença no round 6.

No seu primeiro heat das repescagens deste dia, Eduardo Fernandes esteve imparável e muito sólido. A prova disso é este layback que seria a primeira de uma combinação de três manobras sólidas e a garantia na fase seguinte. Photo by Federação Portuguesa de Surf

No seu primeiro heat das repescagens deste dia, Eduardo Fernandes esteve imparável e muito sólido. A prova disso é este layback que seria a primeira de uma combinação de três manobras sólidas e a garantia na fase seguinte. Photo by Federação Portuguesa de Surf

Umas horas mais tarde e Eduardo Fernandes voltava a vestir a lycra de competição, desta vez para competir no heat 3 do round 6. Por esta altura, as condições glass da manhã já não existiam pois o onshore fraco já tinha começado a soprar. Infelizmente, Eduardo Fernandes não conseguiu encontrar as paredes que até aqui o tinham levado e a essa má sorte juntaram-se Hiroto Arai e Miguel Tudela que descobriram nas já dificeis condições as ondas perfeitas para aplicarem todo o seu surf. Haria esteve mesmo perto de fazer o primeiro 10 da prova graças a uma combinação endiabrada de manobras. A nota acabou por sair um 9.87. Eduardo Fernandes foi assim o segundo surfista luso a sair de competição mas Portugal mantém excelentes hipóteses de vencer pois tem ainda quatro atletas em prova e todos no evento principal: Guilherme Fonseca e Pedro Henrique, como mencionado, e Teresa Bonvalot e Carol Henrique que hoje não surfaram.

O ISA WSG continuará amanhã e podes continuar a apoiar a selecçõa nacional ao vivo carregando AQUI! Força Portugal!

Comentários

Os comentários estão fechados.