Chegados à final do Nazaré Challenge com dois portugueses, um basco, um australiano, um sul africano e um brasileiro ficou bem patente que uma vitória Europeia podia estar “nas cartas”.

Tanto João Macedo, como Alex Botelho e Natxo Gonzalez fizeram ondas que, se tivessem replicado na final, teriam disputado a liderança. Todos fizeram boas ondas nesta final e sofreram wipe outs pesados, terminando em 5º, 4º e 3º lugar respectivamente, enquanto que o australiano Russel Bierke terminou em 6º lugar.

A vitória acabou por ser disputada entre o vencedor da prova em 2017, Lucas Chianca, talvez o mais high performance dos competidores deste circuito, e um dos nomes mais dominantes do BWT, Grant Baker. Grant surfou mais ondas que qualquer outro competidor em qualquer outra bateria e foi crescendo ao longo do heat. A minutos do fim foi João Macedo quem mais ameaçou o primeiro lugar mas acabou por cair em mais uma montanha, enquanto que Baker continuou a melhorar a sua posição e saiu da água como vencedor, com Lucas Chianca em segundo lugar.

Contas feitas, o evento de 2018 foi provavelmente o melhor da história do circuito na Nazaré, com ondas incríveis e pouco vento, confirmando que o call foi perfeito. Ainda no calendário do Big Wave Tour da WSL estão as provas de Jaws e Mavericks, que têm um período de espera até 31 de Março de 2019.

Comentários