O título mundial da World Surf League de 2018 foi um dos mais disputados dos últimos anos, com os últimos dois candidatos em prova nos últimos heats da última etapa do circuito.

Em ondas de dois metros e meio para Pipe e Backdoor, Gabriel Medina foi destaque desde o round 1 e chegou às meias finais como grande favorito à vitória. A situação não era muito diferente da que Gabriel viveu em Portugal uns meses antes, quando tinha hipóteses de sagrar campeão no MEO Rip Curl Pro Portugal. Aí perdeu a um heat da final, depois de ter liderado. Em Pipe já precisava de menos, apenas tinha que chegar à final mas mesmo que não conseguisse obrigava o seu último adversário na disputa, Julian Wilson, a bater Kelly Slater na segunda meia final e vencer a final.

Jordy Smith nunca é visto como um favorito à vitória em Pipeline mas nesta prova estava inspirado e a 20 minutos do fim liderava o heat contra Medina e tinha a prioridade. Infelizmente para ele, o brasileiro é mestre na estratégia de heats e “vendeu-lhe” uma onda muito fraca, só para logo de seguida apanhar um longo tubo para Backdoor para receber uma nota de 9.1 e passar para a frente.

O tempo foi passando e a 2 minutos do fim Jordy precisava de uma nota de 7.78 e tinha do seu lado a prioridade mas quando mais nenhuma onda com potencial entrou no line up Gabriel Medina sagrou-se, com muita justiça, bicampeão mundial!

 

Comentários

Os comentários estão fechados.