Terminou uma das etapas mais esperadas do Championship Tour de 2018, o Surf Ranch Pro. Esta foi a etapa que introduziu ondas artificiais ao circuito, num formato alternativo que lembra as grandes provas de skate.

Ao dia final chegaram 8 surfistas na categoria masculina, Sebastian Zietz, Miguel Pupo, Kelly Slater, Owen Wright, Kanoa Igarashi, Julian Wilson, Gabriel Medina e Filipe Toledo e quatro na feminina, Carissa Moore, Caroline Marks, Stephanie Gilmore e Lakey Peterson. Quando Lakey terminou a sua terceira direita do dia começou-se a celebrar a vitória de Carissa Moore, mas esse momento teve de ser adiado devido a um acontecimento bastante inesperado. Apesar de todas as ondas serem bastante semelhantes, algumas esquerdas na segunda run eram mais pequenas e apresentavam uma formação um pouco estranha, o que fez com que a organização decidisse atribuir mais uma esquerda a Caroline e Lakey. Ambas surfaram-nas bem mas não conseguiram mudar o resultado, o que permitiu a Carissa celebrar a sua primeira vitória do ano. A havaiana foi o claro destaque na categoria feminina, liderando de ponta a ponta com algumas ondas que também teriam recebido pontuações altas na categoria masculina. Stephanie Gilmore terminou em segundo, o que lhe permitiu continuar a meter mais pontos entre si e a segunda classificada do ranking, Lakey Peterson, que terminou em terceiro, enquanto que Marks ficou em quarto.

Filipe Toledo era o claro favorito à vitória nesta etapa mas o que é certo é que o seu backside não se equipara ao de Gabriel Medina. Um é regular e o outro é goofy mas “Gabe” tem um nível bastante semelhante para ambos os lados, o que lhe permitiu garantir a vitória mesmo antes da sua última run. Para a direita Medina abusou com manobras fortes, tubos incríveis e finalizações sólidas enquanto que para a esquerda a receita foi manobras a soltar o tail, grandes carves e um par de kerrupts onde muitos escolhiam andar no tubo final. De facto isso foi a estratégia dos surfistas mais em forma do evento, Medina, Toledo, Igarashi e Wilson. Chegados à última run só estes 4 pareciam ter hipóteses reais a nível de performance de ficar com o primeiro lugar, apesar do “fundador”, Slater, ter terminado em 3º lugar surfando o Ranch da forma mais tradicional. Contas feitas Toledo foi vice-campeão e Igarashi foi 4º, enquanto que Wilson não conseguiu um dos seus milagres na esquerda e terminou em 6º, o que equivale a um 5º lugar em termos de pontuação para o ranking.

O tour agora segue para a Europa para duas etapas muito importantes, o Quiksilver Pro France e o MEO Rip Curl Pro Portugal.

Comentários