Depois de terminada a mudança de local de prova para Leça da Palmeira, o Sumol Porto Pro arrancou com boas condições. O pico de esquerda e direita que alguns competidores tinham surfado no dia anterior em Leça estava semelhante, mas com a direita a quebrar melhor.

Apenas quatro surfistas seriam eliminados nos oitavos de final pois cada um dos quatro heats tinha apenas três competidores. Luca Guichard, Edgar Nozes, Ruben Gonzalez e Eduardo Fernandes foram os competidores eliminados a um lugar da fase man-on-man e do prize money!

Os quartos de final man-on-man foram a melhor fase do campeonato com alguns heats excelentes. O líder do circuito, Francisco Alves, esteve em grande forma durante todo o campeonato e as notas altas saíam com facilidade. O seu backside estava no ponto e graças a algumas batidas, reentrys e snaps, o surfista da Caparica foi construindo uma forte liderança. Mas o seu adversário tinha outras ideias, Miguel Blanco queria fazer nesta etapa a sua primeira vitória no circuito e virou o heat nas duas últimas ondas.

Um factor importante nestes heats eram as pausas entre os sets, que se habilitavam a ser mais decisoras que o próprio surf. Frederico Morais quase foi vítima dessas pausas e de um endiabrado João Guedes. O surfista local mostrou um surf de backside bastante afiado e numa das suas primeiras ondas meteu o finalista da primeira etapa em sarilhos. A onda tinha algumas secções manobráveis mas era um pouco “bumpy”, mesmo assim Guedes deu duas fortes batidas de backside e mais alguns snaps para conseguir uma nota sólida. Algumas ondas mais tarde, Morais encontrava-se no pico com prioridade mas com poucas oportunidades de pontuar. Os últimos cinco minutos não tiveram qualquer onda surfada e a segundos do fim Frederico apanhou a única onda que entrou e trabalhou-a muito bem para conseguir a nota que precisava com pouco espaço para erros.

Logo de seguida Zé Ferreira e Vasco Ribeiro fizeram aquela que talvez tenha sido a melhor bateria da fase, pois ambos fizeram notas altíssimas. Mas no fim foi o bicampeão nacional que avançou para a meia-final com menos de um ponto de vantagem. Para terminar a fase aconteceu a maior surpresa do campeonato, Tomás Fernandes eliminou Nicolau Von Rupp. Nic surfou bem, apesar de não estar tão “sharp” como o vimos em outros eventos, mas o surfista da Ericeira foi quem deixou todos de boca aberta. Tomas mostrou muita maturidade no seu surf e encheu uma direita de fortes rasgadas, batidas e reentrys para conseguir a nota de 8.5, que poderia até ter sido mais. A partir daí foi só “meter” um back up sólido e avançar para as meias finais, que foi o que fez!

O facto de os últimos quatro surfistas em prova terem todos menos de 20 anos, excepto Frederico Morais que tem 21, mostra que o surf nacional vai por um bom caminho. A categoria feminina também seguiu um rumo bastante semelhante e quem venceu foi Teresa Bonvalot, de 13 anos. Esta surfista é o futuro do surf feminino no nosso país e depois de “ameaçar” bastante conseguiu a sua primeira vitória. O seu surf de backside foi impressionante e deixou todas as suas adversárias a precisar de notas sólidas. Maria Abecasis foi quem chegou mais perto, terminando em segundo, seguida por Keshia Eyre e Camila Kemp.

De volta aos homens, Frederico Morais e Vasco Ribeiro encontravam-se em meias finais diferentes e, apesar de serem os claros favoritos, ninguém ficaria surpreendido se Miguel Blanco e Tomás Fernandes chegassem à final. Miguel e Frederico entraram primeiro e o heat foi algo equilibrado no início. Mas o ritmo de Morais estava impecável e depressa disparou na liderança, eliminando Blanco.

Por sua vez Tomás Fernandes não fez mais estragos devido a um erro táctico. Enquanto Vasco apanhava tudo o que mexia e nem por isso conseguia bons scores, Tomás foi selectivo e esperou muito pela primeira onda. Infelizmente, para ele, remou para uma onda e não a apanhou, perdendo assim a prioridade. Logo a seguir entrou uma onda boa que Ribeiro, com um forte carve, uma batida que deitou muita água e mais uma potente rasgada, transformou num 9. A partir daí o heat ficou praticamente perdido apesar de Fernandes ter acabado a bateria apenas a precisar de uma onda a casa dos 7 pontos. Mesmo assim tanto Blanco como Fernandes estão de parabéns pelo resultado e pelo surf que fizeram ao longo da prova.

A final Frederico Morais VS Vasco Ribeiro é algo que se vai repetir muitas vezes ao longo dos próximos anos na Liga MOCHE, pois são os melhores surfistas deste circuito! Frederico foi quem começou melhor mas Vasco respondeu bem. No fim foi mesmo Morais quem levou a taça e a liderança do circuito!

Podes ver as duas melhores ondas de cada um abaixo!

(Vasco Ribeiro, 2º lugar)

(Frederico Morais, 1º lugar)

 

Comentários

Os comentários estão fechados.