Como previsto o MEO Portugal Cup of Surfing, Special Event organizado pela WSL, arrancou cedo e com boas condições em Ribeira D’Ilhas.

Logo no primeiro heat do dia estava uma portuguesa, Camila Costa, que não conseguiu repetir a performance do dia anterior e acabou por ser eliminada por uma das surfistas mais em forma do evento, a israelita Anat Lelior. No heat seguinte Carolina Mendes disputou uma vaga nas meias finais taco-a-taco contra a líder da Euro Cup, Johanne Defay. Ambas surfaram muito mas no fim Defay conseguiu pontuar um pouco mais alto e venceu o confronto.

Por sua vez Yolanda Hopkins também fez um heat muito equilibrado com Pauline Ado, uma das surfistas mais experientes do evento, mas desta vez a algarvia conseguiu mostrar a sua garra e atitude dentro de água, vencendo a bateria com muito mérito. A fase terminou com mais uma bateria muito disputada entre duas inspiradas goofies, Teresa Bonvalot e Nadia Erostarbe. Ambas fizeram notas de 7 pontos mas no fim o que fez a diferença foi o back up de Nadia, que foi melhor e garantiu-lhe a vitória.

Seguiu-se a categoria masculina, que tinha uma bateria muito interessante para começar. Ramzi Boukhiam e Vasco Ribeiro competem juntos desde os tempos de júnior e em Ribeira tiveram mais uma oportunidade de “acertar contas”. Vasco era o favorito mas Ramzi em point breaks de direita também está em casa e acabou por vencer o heat com alguma vantagem. O outro português ainda em prova nesta fase estava no heat 4, e tinha como adversário um surfista que o tinha derrotado no round 1, Aritz Aranburu. Desta vez Frederico Morais não deu hipóteses e encheu duas das suas três primeiras ondas com os seus fortes carves e “batidões” para deixar o basco em combinação cedo no heat. Aritz ainda conseguiu melhorar a sua posição mas seria pouco, e tarde para virar o resultado a seu favor.

Nas meias finais Ítalo fez o que se esperava, venceu a sua bateria com boa vantagem sobre Ramzi, enquanto que Frederico Morais tinha um surfista muito perigoso pela frente, Kanoa Igarashi. Foi um heat muito equilibrado e cheio de acção e a “fórmula” do português acabou por ser suficiente para eliminar o número 6 do mundo e garantir uma presença na final.

As finais aconteceram depois de algumas horas de pausa, primeiro o confronto feminino, Nadia Erostarbe contra Johanne Defay. A basca, Nadia, depois de derrotar três portuguesas, Mafalda Lopes no round 2, Teresa Bonvalot nos quartos de final, e Yolanda Hopkins, deu muita luta a Defay, que já era a vencedora da Euro Cup há algumas horas, mas a surfista das Ilha Reunião por dominar o heat, saindo da Europa invicta nesta temporada.

O derradeiro heat do campeonato juntava dois surfistas que se conhecem bem, os companheiros de equipa Ítalo Ferreira contra Frederico Morais, campeão mundial da WSL vs campeão do circuito QS. O português fez apenas 3 ondas, mas todas elas foram muito bem surfadas. Na sua terceira e última onda recebeu uma nota de 8.83, deixando Ítalo a precisar de uma nota de 8.28 pontos. A partir daí Morais optou por segurar a prioridade e garantir que a próxima onda com potencial fosse sua mas o que é certo é que mais nada entrou e o campeão do mundo teve que se contentar com mais um “vice” em Portugal. Frederico Morais saiu da água mais uma vez campeão, mostrando que, mesmo sem Championship Tour, não deixa dúvidas que é um dos melhores surfistas do mundo!

Notícia em actualização…

Comentários