Depois de um lay day o Rip Curl Pro Bells Beach voltou à água. Em prova estavam ainda 8 surfistas na categoria masculina e 4 na feminina. Entre eles estava o único representante português no Championship Tour, Frederico Morais, que tinha como adversário o ex-campeão mundial de 2014, Gabriel Medina.

Era a repetição de um confronto de 2017, um heat vencido por Morais que foi um dos pontos altos do seu ano. Nessa bateria do round 3 Kikas conseguiu “virar o feitiço contra o feiticeiro”, prejudicando o foco do brasileiro ao não o deixar ficar com a prioridade no início do heat, algo que “Gabe” sempre fez questão de garantir.

Mas antes ainda estavam programados 3 grandes confrontos, Michel Bourez vs Patrick GudauskasMick Fanning vs Owen Wright
e Ezekiel Lau vs Italo Ferreira. Com ondas até aos 2 metros e pouco vento Pat e Michel fizeram uma boa disputa no primeiro heat do dia. Pat apanhou as maiores e surfou bem enquanto que Michel, apesar de ter mostrado estar noutro patamar, não conseguiu virar o resultado por muito pouco na sua última onda e foi eliminado.

De seguida Mick Fanning “sobreviveu” com facilidade a mais um heat, prolongando a sua carreira competitiva pelo menos até às meias finais quando eliminou o seu companheiro de equipa, Owen Wright. Italo Ferreira fez o melhor heat da fase contra Ezekiel Lau, abusando de backside para deixar o havaiano combinado.

No confronto mais esperado pelos portugueses, foi Gabriel Medina quem apanhou a primeira onda mas nem chegou aos 2 pontos. Por sua vez Kikas começou com uma onda bem escolhida e surfou-a bem, com um grande cutback roundhouse, algumas rasgadas e uma finalização. Apesar de ter vincado a prancha e trocado por uma nova, “Freddy” chegou ao pico muito rápido e levou consigo uma nota de 6.33 e a liderança.

Debaixo da prioridade de “Gabby”, o português apanhou mais uma onda e com várias manobras no lip e algumas rasgadas recebeu uma nota de 7 pontos e voltou ao pico com o seu adversário numa combinação de 13.77 faltando 16 minutos do fim. Medina respondeu com uma onda excelente, graças a vários “batidões” no lip numa onda de set e voilá, recebeu um 8.87 que o deixou a precisar de apenas 4.34. Debaixo da prioridade Gabriel inverteu a sua situação e fez com facilidade uma nota de 6.9 que lhe deu a liderança e deixou Morais a precisar de 8.74 para voltar ao primeiro lugar. A um minuto do fim Frederico usou a sua prioridade e apesar de a ter surfado bem a sua expressão corporal no fim disse tudo, não seria suficiente, “apenas” 8 pontos.

Apesar da derrota, o surfista de Cascais sai de Bells com a cabeça erguida e mais 4.745 pontos no ranking, o que o coloca dentro do top16.

Acompanha a evolução desta prova em directo AQUI!

Comentários