O dia 4 do Oi Rio Pro começou sem grandes hesitações e logo às 7 da manhã (hora local) o primeiro heat estava na água. Depois de um dia de boas ondas na Barrinha, a prova voltou ao local para ver mais do mesmo, boas direitas com várias secções e alguns tubos.

Primeiro na água esteve um confronto muito interessante, o surf progressivo de Michael Rodrigues VS o backside letal de Matt Wilkinson. Foi um heat de notas baixas e ao fim de 30 minutos o brasileiro seguia em frente e Matt Wilkinson terminava em 25º pela terceira vez em 4 eventos.

Frederico Morais estava no heat seguinte e tinha como adversário o californiano Patrick Gudauskas. Morais apostou no tubo na sua primeira onda mas a secção era difícil de surfar e a nota saiu baixa. A sua segunda onda oferecia pouco potencial para fazer uma nota muito alta, mas “Freddy” conseguiu fazer um dos seus combos, snap no lip, cutback e reentry para fazer uma nota de 3.10. Logo de seguida fez outra onda, um tubo pequeno e apertado para melhorar o seu back up com uma nota de 3.77 pontos. Por sua vez Gudaukas ficou muito perto de conseguir uma nota excelente num longo tubo, mas não encontrou a saída. Pat encontrou dois tubos na sua onda seguinte e, apesar de não ter ficado muito fundo e de não ter saído pela porta, pontuou 5.5, baixando o requisito para apenas 1.37 pontos.

Kikas caiu na onda seguinte, oferecendo a prioridade a Gudauskas, que também não foi bem sucedido alguns minutos mais tarde. De facto Pat partiu a sua prancha a tentar sair de mais um tubo enquanto que Morais, na onda seguinte, fez um tubo pouco profundo e terminou com um forte reentry para receber 5.27, deixando o californiano a precisar de uma nota de 3.54 pontos sem a prioridade a 4 minutos do fim. Kikas posicionou-se perto de Gudauskas, preparando-se para o bloquear se aparecesse uma onda boa mas não teve que o fazer pois não entrou mais qualquer onda e o português seguiu para o round 3.

Os tubos começaram a ficar mais “espessos” no heat seguinte e Jeremy Flores aproveitou bem a oportunidade para bater Jesse Mendes numa bateria com um final bastante disputado. Logo depois aconteceu o Super Heat da fase, Sebastian Zietz contra Joan Duru. O havaiano fez dois longos tubos no início mas o francês respondeu bem e depois da última troca de ondas apenas 0.19 os separavam, a favor de Zietz. Tomás Hermes foi um pouco abaixo depois de começar o ano com um 3º lugar na Gold Coast, mas “em casa” voltou a brilhar, fazendo a melhor onda da fase, um tubo que lhe rendeu 9.07, para bater Conner Coffin. Para terminar a fase, Kanoa Igarashi bateu o rookie do ano de 2017, Connor O’Leary, para garantir uma vaga no round 3.

As ondas mantiveram a qualidade e o round 3 masculino realizou-se logo de seguida, acompanha tudo em directo AQUI!

Heats do round 3
Heat 1: Jordy Smith x Ian Gouveia
Heat 2: Frederico Morais x Michael Rodrigues
Heat 3: Filipe Toledo x Keanu Asing
Heat 4: Kolohe Andino x Willian Cardoso
Heat 5: Griffin Colapinto x Kanoa Igarashi
Heat 6: Julian Wilson x Alejo Muniz
Heat 7: Gabriel Medina x Mikeyl Wright
Heat 8: Sebastian Zietz x Tomas Hermes
Heat 9: Adrian Buchan x Ezekiel Lau
Heat 10: Italo Ferreira x Yago Dora
Heat 11: Jeremy Flores x Wade Carmichael
Heat 12: John John Florence x Miguel Pupo

Comentários