Frederico Morais num brilhante 2º lugar em Lacanau | Vasco Ribeiro é 5º

publicado há 4 anos por 0

Frederico Morais foi sem dúvida o melhor surfista do Sooruz Lacanau Pro mas, infelizmente, ficou a faltar-lhe uma segunda onda para vencer o seu primeiro WQS! Mesmo assim fez um brilhante segundo lugar!
Frederico Morais foi sem dúvida o melhor surfista do Sooruz Lacanau Pro mas, infelizmente, ficou a faltar-lhe uma segunda onda para vencer o seu primeiro WQS! Mesmo assim fez um brilhante segundo lugar!

Já tínhamos preparado a foto acima com o título a dar a vitória a Frederico Morais, afinal, quem assistiu ao Sooruz Lacanau Pro viu que o português foi o surfista do evento e a vitória parecia-lhe destinada e merecida…

Infelizmente, uma maré muito cheia dificultou a vida aos dois finalistas, e Morais foi quem acabou por sair prejudicado pois ficou a faltar-lhe a segunda onda para vencer o seu primeiro WQS. Mas já vamos ao percurso de Morais durante este grande dia para o surf nacional!

É que em prova estava ainda, no início do dia, o grande Vasco Ribeiro que, no seu primeiro heat do dia defrontou o brasileiro Krystian Kymerson, o argentino Santiago Muniz e o seu grande amigo Frederico Morais! Mal o heat começou, Morais e Ribeiro disputaram uma direita a qual Ribeiro acabou por ter prioridade e, depois de uma sequência de rasgadas e pauladas power, recebeu um 5.17.

Entretanto Morais começava da melhor forma com um 6.67 e seguindo-o com um 7.10, agarrando rapidamente a liderança do heat, liderança essa que não largou até ao final. Mas, antes da buzina, Morais ainda destruiu por completo mais uma onda, tal e qual como tinha vindo a fazer ao longo de todo o evento, e meteu um 8.90 como melhor onda, terminando o heat com uma excelente média de 16.00. Os seus carves de frontside mas, principalmente, as suas sequências demolidoras de pauladas e rasgadas de backside foram, novamente, os responsáveis pela prestação excelente de Morais.

Já Ribeiro teve um heat complicado pois ao fim de uns minutos disputou uma onda com o brasileiro. Quando Vasco se colocou em pé para tentar ir para a direita já o brasileiro ia a cortar a onda para a esquerda e, infelizmente, o júnior português levou interferência! Mas Vasquinho não é homem de desistir, e a prova disso foi o surf que mostrou e a sua atitude never give up! Assim, na sua última onda, Vasquinho encaixou dois poderosos rasgadões e terminou com uma aéreo reverse abusado recebendo um justíssimo 8.50, e com ele garantiu o segundo lugar do heat (mesmo com a sua segunda nota, o 5.17, a contar apenas metade devido à interferência)! Brilhante e demolidor!

Mesmo com uma interferência, Vasco Ribeiro conseguiu um lugar nos quartos-de-final graças a uma direita onde, depois de duas poderosas rasgadas, encaixou este aéreo reverse.

Mesmo com uma interferência, Vasco Ribeiro conseguiu um lugar nos quartos-de-final graças a uma direita onde, depois de duas poderosas rasgadas, encaixou este aéreo reverse.

Tínhamos assim Morais e Ribeiro nos quartos man-on-man e, se tudo corresse bem neste round, ambos se encontrariam novamente nas meias-finais o que significaria logo uma bandeira portuguesa na final.

O primeiro a entrar foi Vasco Ribeiro e que tinha pela frente um dos grandes destaques do evento, o indonésio Oney Anwar. Foi um heat muito renhido com Anwar a apostar tudo nos aéreos reverse mas foram manobras que acabaram por ser únicas na onda. Já Ribeiro optava por combinar o power com a performance mas as ondas que apanhou não foram as melhores e o júnior português acabou por perder o heat por nove décimas! Sem dúvida que Vasquinho merecia ir mais longe mas este quinto lugar não deixou de ser um excelente resultado e a prova definitiva que os maus resultados já ficaram para trás, assim como a certeza de que está 100% recuperado da sua lesão!

No último heat dos quartos entrou o único português em prova nesse momento, Frederico Morais e este simplesmente não deu hipóteses ao americano Balaram Stack. Morais voltou a carburar as esquerdas com um backside mortal e deixou Stack a necessitar de uma nota de oito pontos para lhe roubar o primeiro, coisa que nunca aconteceu!

Morais estava assim nas meias-finais e tinha oportunidade de vingar a derrota de Ribeiro uma vez que iria defrontar Oney Anwar. Depois de umas ondas curtas e sem expressão, Morais encontrou novamente a esquerda onde passou o campeonato todo a redefinir o que é o surf de backside no que diz respeito a projecção, encadeamento de manobras, power, fluidez, estilo e verticalidade, e, numa combinação mortífera de várias pauladas e rasgadas, recebeu um justíssimo 9.17, uma das mais altas notas do evento. Lodo de seguida juntou-lhe um 5.17 e passou o resto do heat confortavelmente no primeiro lugar pois Anwar precisava de uma nota quase perfeita para vencer, um 9.84.

Frederico-Morais-second-Sooruz-Lacanau-Pro-v4

Frederico Morais discute estratégia com seu treinado Richard Marsh!

Morais encontrava-se assim pela primeira vez na final de um WQS, neste caso de 5 estrelas. Do outro lado estava também um europeu, Charles Martin, e, do lado de cá do monitor, todos acreditávamos que a vitória seria do português pois a sua performance ao longo de todo o evento, e não, não nos cansamos de o dizer, foi soberba!

Foi com uma maré muito cheia, ondas moles e poucas ondas boas que os dois se defrontaram e enquanto Martin optava por apanhar tudo o que mexia, Morais optava por esperar a onda certa para voltar a encaixar notas excelentes.

Martin recebia um 6.17 depois de uma boa rasgada de backside e uma paulada a rodar o tail todo na junção logo na sua primeira onda, enquanto Morais apanhava uma esquerda e encaixava mais uma sequência de rasgadas e pauladas para receber um 5.90.

Infelizmente, as ondas que o português apanhou eram moles pelo que se tornava mais complicado para Morais aplicar a verticalidade e o power que mostrou todo o evento. Apesar de as surfar muito bem, Morais não conseguiu fazer as notas que levaram o português à final e, no final do derradeiro heat, Charles Martin acabou por ser o vencedor do Sooruz Lacanau Pro 2013, o que não deixou de ser amargo para nós pois sem dúvida que Morais foi o surfista do evento!

No entanto este foi um grande resultado para Morais assim como para Ribeiro. Parabéns aos dois!!!

 

Comentários