Depois de Frederico Morais “despachar” Joel Parkinson com uma prestação sólida, as surpresas continuaram no Rip Curl Pro Bells Beach.

Tudo começou com um heat fraco entre Adriano de Souza e Conner Coffin, que foi decidido pelos back ups. Na última tentativa Adriano tentou transformar uma onda muito fraca numa nota de 3.13 mas não foi sucedido e acabou eliminado. Depois foi a vez de dois brasileiros, Ítalo Ferreira e Filipe Toledo protagonizarem o melhor heat da prova. A média de Toledo teria vencia todos os heats desta fesa, excepto este pois Ferreira apesar de ter surfado apenas duas ondas, pontuou duas notas excelentes.

Entretanto Jeremy Flores virou a sua bateria contra o número 2 do ranking, Adrian Buchan, na última onda e Gabriel Medina mostrou incrível forma, sendo o único cabeça de série a sobreviver neste dia. A prova entrou em standy by durante uma hora e recomeçou em Winkipop com o primeiro heat do round 4. O facto deste round eliminar um surfista por heat fez desta fase bastante interessante e logo no primeiro confronto Wade Carmichael e Owen Wright disputaram a vaga taco a taco, já que Michel Bourez disparou na liderança e não olhou mais para trás. No final foi o rookie que ficou com o 9º lugar.

Mick Fanning corria o risco de acabar a sua carreira no CT logo no heat seguinte, tendo em conta que tinha como adversários Patrick Gudauskas e Matt Wilkinson. Pat começou a construir uma liderança sólida bem cedo, pontuando um par de notas de 7 pontos enquanto que Mick e Matt estavam um pouco mais abaixo com notas de 4.5 e 5.57 respectivamente. A meio do heat Mick deixou passar uma onda que Wilko aproveitou para mostrar o seu melhor surf, conseguindo uma nota de 7.5 e deixando o seu companheiro de equipa a precisar de uma onda de 8.67 para passar para segundo lugar. Claro que Fanning não baixou os braços e a 3 minutos do fim liderava o heat, com Gudauskas em 2º e Wilkinson eliminado em 3º lugar.

Frederico Morais tinha como adversários Conner Coffin e Ezekiel Lau no heat 3 do round 4. Foi Kikas quem abriu o heat, com uma onda com algumas batidas e um snap a soltar o tail para receber a nota de 5.33. Lau respondeu com um surf muito radical mas a onda foi curta e apenas recebeu 5.40 pontos. Já em 3º lugar Morais usou a sua prioridade numa onda boa e surfou-a bem mas falhou a finalização, o que comprometeu a sua nota, recebendo apenas um 4.6 mas que foi suficiente para passar para a liderança a 20 minutos do fim.

Sem prioridade Morais apanhou uma onda mais pequena mas surfou-a na perfeição e melhorou a sua situação com uma nota de 5.83. Entretanto Ezekiel fez uma onda incrível, cheia de snaps layback e tail slides e finalizou bem para fazer 7.17 e passar para o primeiro lugar, deixando Morais a precisar de uma nota de 6.75 para 1º e Conner a precisar de 6.13 para segundo.

“Freddy” apanhou uma onda boa quando tinha a prioridade mas caiu na segunda manobra e ficou à mercê dos seus adversários. Nos minutos finais Kikas estava na 3º prioridade e apanhou uma onda pequena mas, mais uma vez, surfou a muito bem. Coffin respondeu com uma combinação de 2 manobras fortes e o heat acabou sem se saber as notas. Contas feitas, a nota do português não mudou a situação mas a de Conner ficou 0.06 abaixo do que precisava, o que significa que Frederico Morais passou para os quartos de final!

A bateria seguinte foi vencida por Gabriel Medina, seguido de Italo Ferreira, o que deixou o surfista da Ilha Reunião eliminado. Medina será o adversário de Frederico Morais nos quartos de final, um confronto que é uma repetição de um heat de 2017 no mesmo local.

Heats do quartos de final
Heat 1 | Michel Bourez x Patrick Gudauskas
Heat 2 | Mick Fanning x Owen Wright
Heat 3 | Ezekiel Lau x Italo Ferreira
Heat 4 | Gabriel Medina x Frederico Morais

Comentários