A ondulação prevista finalmente chegou aos Açores para o dia 5 do Azores Airlines Pro, prova QS 6.000 a contar para o ranking masculino de qualificação da WSL. No entanto o vento veio junto com o swell, dificultando muito o “trabalho” dos competidores nos primeiros heats.

Logo no primeiro heat do dia, o 3º do round 3, estava Frederico Morais, que tinha como adversários Jake Marshall, Ruben Vitoria e Jack Robinson. Foi um heat difícil, de grande “luta com os elementos” não só para descobrir as ondas certas como para navegar no line up com as fortes correntes. Jake foi quem descobriu as melhores ondas mas também Morais mostrou a força e consistência do seu surf para fazer duas notas medianas e avançar em segundo lugar, eliminando o número 13 do ranking QS, Robinson, e o espanhol Vitória.

Duas baterias mais tarde Afonso Antunes tinha uma bateria possivelmente mais difícil, contra Carlos Munoz, Maxime Huscenot e Alonso Correa. Foi um heat raro em que a leveza de Afonso, o surfista mais novo da bateria, não jogou a seu favor devido à intensidade das condições, que rondavam os dois metros, com sets maiores. Antunes fez o que pôde, com duas direitas bem surfadas mas com pouco potencial, acabando mesmo assim em 3º lugar, à frente de Correa. Já Maxime e Carlos conseguiram apanhar um par de ondas “decentes” cada, e avançaram para a fase seguinte com algum espaço de manobra.

Ainda em prova está também Vasco Ribeiro, que compete dentro de poucas horas, no heat 11 da fase, possivelmente em condições melhores já que a Ilha de São Miguel é famosa pela rapidez com que as ondas acertam.

Acompanha a evolução do Azores Airlines Pro em directo AQUI!

Heats com portugueses
Round 3
Heat 11 | Evan Geiselman x Te Kehukehu Butler x Vasco Ribeiro x Michael February
Round 4
Heat 1Tristan Guilbaud x Beyrick De Vries x Frederico Morais

Comentários