Depois de alguns “calls” que foram adiando a prova das 9:30 para as 11 horas, o Pro Santa Cruz presented by Noah Surf House, uma etapa do circuito QS da World Surf League que oferece 3.000 pontos ao vencedor, arrancou com boas condições.

As ondas estava ligeiramente mais pequenas que no dia anterior mas mantinham cerca de um metro “plus”, sem vento e com boas esquerdas e direitas na Praia do Mirante. Primeiro na água estiveram Ramzi Boukhiam, um surfista marroquino que reside no sudoeste de França, e Tim Bisso, um surfista da Ilha de Guadalupe que reside na Ericeira. Ambos são goofies e disputaram a qualificação para as meias finais taco a taco nas esquerdas, e foi Ramzi quem estava mais no ritmo das melhores ondas e venceu a bateria.

Depois foi a vez do favorito local, Vasco Ribeiro, defrontar o brasileiro Luel Felipe. Ambos surfaram bem mas a estratégia esteve mais a favor de Luel. Enquanto que o brasileiro apostou logo nas esquerdas, Vasco tentou as direitas mais no outside. Infelizmente essas ondas não ofereceram secções verticais, onde as notas altas são feitas. Quando Ribeiro passou para a esquerda já o seu adversário tinha uma nota forte e a prioridade e a boa gestão das desses “recursos” foram fatais para o português, que mesmo assim terminou num sólido 5º lugar.

Na bateria seguinte, um confronto 100% francês Jorgann Couzinet foi superior a Thomas Debierre e seguiu para as meias finais. De seguida surfou o último surfista português ainda em prova, Frederico Morais, que tinha como adversário Nomme Mignot. Kikas começou com duas ondas rápidas, ambas para a direita. A primeira tinha poucas secções mas uma delas deu para fazer um forte carve que lhe deu uma nota de 3.17 enquanto que a seguinte tinha mais mais oportunidades de fazer manobras fortes e com os seus combos snap/batida/finalização forte recebeu uma nota de 6 pontos. Mignot apostou nas esquerdas que, nesta fase da maré, estavam com menos potencial mas, mesmo assim, o francês conseguiu uma nota de 4.17 para ficar na disputa pelo vaga nas meias finais. Morais fez mais algumas ondas de pouca expressão até apanhar uma onda de set bastante rápida mas em que conseguiu um bom carve, floater e reentry a soltar o tail para receber 6.73 pontos e deixar Nomme a precisar de 8.56 a 15 minutos do fim. Antes que Mignot conseguisse responder, já Morais estava a melhor a sua posição, com mais uma longa direita cheia de manobras fortes para receber 7.17 e deixar o seu adversário a precisar de 9.73. A situação não se alterou muito e Frederico seguiu para as meias finais, onde terá como adversário outro francês, Jorgann Couzinet.

Acompanha a evolução desta prova em directo AQUI!

Notícia em actualização…

Comentários