O dia 2 do Montepio Cascais Pro foi uma “maratona” de emoções e de muito bom surf, e a disputa pelo título mudava o seu percurso.

Tudo começou logo pela manhã, com boas ondas que chegavam até um metro em Carcavelos. A prova abriu logo com um heat muito competitivo entre Luca Guichard, Ruben Gonzalez e Zé Ferreira e no fim pouco mais de um ponto separavam os três. Para surpresa de todos os que acompanham a Liga MOCHE foi Ruben Gonzalez, o 4x campeão do circuito, quem foi eliminado, terminando assim a seu ano competitivo.

Um dos melhores heats da fase foi o 5º, que defrontava o líder do circuito, Frederico Morais com Miguel Blanco e Miguel Madeira. “Kikas” foi muito activo e ao fim de pouco tempo já tinha notas de 7 e 8.5, o que lhe deu uma média para “limpar” quase todos os outros heats desta fase. Mas não este pois Blanco também estava em grande forma e virou o heat com um 8.7. Apesar disso o resultado parecia não influenciar muito a evolução da prova, já que os dois avançaram, mas horas mais tarde ficou visível que não seria o caso. Ao passar o heat em segundo lugar Morais habilitava-se a calhar com dois perigosos vencedores de heats do seu lado da grelha, e foi o que aconteceu. Tiago Pires e Nicolau Von Rupp venceram as suas baterias e os dois, mais Frederico e João Kopke encontrariam-se no round de 16.

Outros destaques nesta fase foram as prestações de Marlon Lipke, Francisco Alves, Vasco Ribeiro e João Kopke, todos vencedores dos seus heats. Apesar da maré estar a ficar cada vez mais cheia, a prova entrou no round de 16 e logo o primeiro heat foi um dos mais disputados de toda o campeonato. Qualquer um dos quatro surfistas deste heat, Zé Ferreira, Tomás Fernandes, Francisco Alves e Justin Mujica era candidato à vitória na etapa, mas tiveram que lutar entre eles para conseguir as suas vagas nos quartos de final man-on-man. Zé Ferreira foi o destaque do heat, encontrando duas boas direitas e com manobras a soltar o tail e rasgadas de rail disparou na liderança, deixando todos os outros na luta pelo segundo lugar. Francisco Alves, com duas esquerdas bem trabalhadas passou para segundo lugar, enquanto que Tomás Fernandes esteve sempre a atacar a sua posição e mesmo Justin não precisava de muito para avançar. No fim Tomás ainda ficou muito perto de roubar o segundo lugar, mas apenas recebeu 4.7 quando precisava e 4.96 e foi eliminado junto com Mujica.

No fim deste heat a prova parou por algumas horas, começando novamente pelas 15:30, depois de uma expression session vencida por Miguel Blanco. As ondas já estavam um pouco melhores mas mesmo assim havia poucas “oportunidades” e a escolha era o factor mais importante para garantir a qualificação.

Vasco Ribeiro, mesmo fora da disputa, mantem o ritmo de surf que tem feito sucesso no QS, vencendo a primeira bateria da tarde, com Marlon Lipke em segundo. Depois foi a vez de Eduardo Fernandes e Filipe Jervis mostrarem que estão de volta aos grandes resultados na Liga, passando para a fase man-on-man ao eliminar Blanco e Boonman.

O último heat do dia foi o mais importante de toda a prova até agora pois tinha grandes implicações na disputa pelo título. As pausas entre os sets eram grandes nesta fase e Tiago Pires e Nicolau Von Rupp capitalizaram bem nos sets que entraram logo no início da bateria. Na sua primeira onda Saca teve três secções fortes para manobrar e transformou-a no melhor score do heat, 7.25. O tempo foi passando e as ondas mal quebravam, o que não permitiu que Morais e Kopke passassem dos dois pontos. Nos minutos finais, Frederico, que tinha Nicolau sempre por perto, apanhou duas ondas mas não conseguiu fazer mais do que notas três e o heat acabou sem que conseguisse melhorar, sendo assim eliminado.

Com a derrota Tiago Pires fica agora com a “porta aberta” para atacar o título, mas para isso terá de vencer o Montepio Cascais Pro. Acompanha esta disputa amanhã a partir das 10.30 AQUI!

 

Comentários

Os comentários estão fechados.