Pelo segundo dia consecutivo o Outerknown Fiji Pro foi à água, com ondas melhores que o primeiro. A prova começou com uma bateria de notas fracas vencida por Joel Parkinson, que bateu Yago fora, e logo de seguida Sebastian Zietz mostrou todo o potencial deste dia, vencendo o seu heat contra Bino Lopes com dois tubos pesados e profundos que lhe deram notas excelentes.

Outro grande performer desta segunda fase foi Jeremy Flores que voltou a mostrar que é um dos melhores tube riders do planeta. A sua primeira nota excelente foi com manobras mas, para fechar um heat que já estava a vencer contra Nat Young, deu um grande tubo no início da sua última onda e outro no inside e mesmo o facto de ter acabado em cima de reef, quase seco, não o perturbou.

Um heat muito esperado neste dia era o que defrontava Kelly Slater e Ethan Ewing. O “dono do evento” vinha do seu pior heat de sempre em Fiji enquanto que Ewing está a ter um ano difícil, já que ainda não passou qualquer bateria no CT. O resultado foi o que se esperava, Slater ainda não fez a sua “magia” mas surfou para vencer com facilidade enquanto que Ethan só no fim do heat, nos últimos segundos, fez uma nota acima dos 3 pontos. Isso significa que irá ficar isolado no fim do ranking pois o outro surfista que ainda não tinha passado um heat, Leo Fioravanti, avançou para o round 3 batendo Adrian Buchan.

A prova entrou pelo round 3 onde já estava Frederico Morais, que tinha como adversário mais uma vez Julian Wilson no heat 2. Kikas foi mais activo no início do heat mas Julian capitalizou mais nas sua primeiras ondas, que eram maiores e tinham mais secções verticais, permitindo-lhe fazer notas melhores. Ao fim de pouco tempo o português estava a perseguir Wilson mas não conseguiu manobrar nas secções mais criticas e quando o australiano deu um bom tubo deixou Morais a precisar de uma nota de 9.51, algo que não conseguiu fazer e foi eliminado. Apesar de não ser um grande resultado, Frederico sai de uma etapa onde não tinha muita experiencia com mais 1.750 pontos, escapando bem ao round 2 que só “oferece” 500 e que não pode surgir no somatório das 9 melhores pontuações no fim do ano.

A grande surpresa destes 4 heats realizados no round 3 foi a eliminação de Gabriel Medina frente ao seu conterrâneo, Ítalo Ferreira. A seguir  Slater, Gabriel é quem tinha o melhor recorde nesta prova, tendo inclusivamente vencido duas vezes. Já Ferreira vinha de uma lesão mas dominou o heat com os seus combos de tubos e manobras fortes. Medina estava a tentar transformar ondas piores em grandes scores, e no fim quase virou o seu resultado a seu favor mas recebeu 7.37 quando precisava de 7.73.

Acompanha o próximo dia de prova em directo AQUI!

Comentários

Deixar uma resposta