As ondas ficaram ligeiramente mais pequenas para o quarto dia do Vans US Open of Surfing, mas o nível de surf aumentou bastante.

O último português ainda em prova era Frederico Morais, que estava no heat 9 do round 2 e tinha pela frente alguns adversários que conhece bem, Maxime Huscenot, Aritz Aranburu e Jadson André. “Kikas” foi o mais activo entre os quatro, passando o heat todo a fazer ondas. No início surfou mais as esquerdas mas depois descobriu um pico mais para sul do pontão e fez uma série de direitas com boas curvas e batidas. O ângulo de visão dos júris do palanque para o pico que escolheu poderá não ter sido o melhor já que apesar de ter surfada muito bem no fim foi ultrapassado por Aritz, enquanto que Maxime já liderava a bateria há algum tempo. Durante todo o heat os júris demoraram bastante a dar as notas, o que também não jogou a favor de Morais já que no fim apenas precisava de 6.04 e saíram várias notas na casa dos 5 pontos depois do término da bateria.

Assim ficou de fora o último resistente da “armada lusa” que substitui um resultado menos bom e fica garantido para os próximos eventos QS 10.000, juntamente com Vasco Ribeiro e Tiago Pires enquanto que os outros surfistas portugueses poderão estar dependentes do número de inscritos nas provas.

Ainda nesta fase o destaque foi o campeão em título desta etapa e candidato ao título mundial Filipe Toledo que com o seu surf progressivo fez duas notas excelentes e é sem qualquer dúvida o homem a abater nesta etapa.

O campeonato seguiu para a prova feminina, que avançou até às meias finais. A grande revelação foi a derrota de Carissa Moore para Bianca Buitendag, uma perda que lhe irá custar a liderança do tour. Ao avançar para as meias finais no heat seguinte Courtney Conlogue irá passar para o primeiro lugar, mesmo que seja eliminada por Tyler Wright. A outra semi-finalista será Johanne Defay, que bateu a local Lakey Peterson no primeiro quarto de final.

Acompanha o resto do Vans US Open of Surfing em directo AQUI!

Comentários

Os comentários estão fechados.