Frederico Morais está a fazer a sua melhor prova no QS desde a temporada havaiana, em Novembro e Dezembro de 2016. Desde aí o surfista de Cascais tem guardado o seu melhor surf para o CT, onde ocupa a 11º posição do ranking.

Tirando um 3º lugar na prova QS 3.000 de Santa Cruz, o “internacional português” não estava a conseguir repetir a “magia” no circuito de qualificação, provavelmente porque não precisava dos pontos. Mesmo assim Kikas encontrava-se no top50, mais especificamente em 36º posição, quando entrou no EDP Billabong Pro Cascais.

O único surfista com seeding superior era o seu rival na disputa pelo título de rookie do ano, Connor O’Leary, mas a prova não correu bem para o australiano, que foi eliminado no seu heat de estreia.

Já Frederico abriu com uma vitória, batendo Adam Melling, Tomás Fernandes e Gony Zubizarreta no round 2 e William Cardoso, Victor Bernardo e Carlos Munoz no round 3. Seguiram-se as vitórias sobre Tomas Hermes e Ethan Ewing no round 3 e Leonardo Fioravanti no round 4, sempre com performances dominantes.

William Cardoso

William Cardoso

No seu próximo heat Morais terá um adversário que conhece bem e que já bateu no round 3, William Cardoso. O brasileiro já esteve à porta do CT várias vezes e este ano encontra-se em 9º lugar no ranking, uma posição que irá melhorar mesmo se for eliminado nos quartos de final.

Será um confronto power surfing (William Cardoso) VS speed, power e flow (Frederico Morais) que promete ser um dos grandes heats do dia. Acompanha tudo e directo AQUI!

Comentários