O terceiro dia do Los Cabos Open of Surf começou com a prova feminina, uma estreia no evento. E se a prova feminina não teve grandes surpresas, excepto talvez a eliminação da jovem surfista da Ericeira, Keshia Eyre, que aqui surgiu a competir pela nacionalidade inglesa, nos homens as revelações não pararam.

Logo no segundo heat um surfista que é conhecido pelo seu incrível repertório aéreo para a esquerda, no qual se incluí o backflip, simplesmente destruiu as direitas de Zippers de backside. Ítalo Ferreira conseguiu assim a melhor média do dia e deixou todos os seus adversários, deste e de outros heats futuros, bem atentos ao seu surf.

Pouco depois entrava na água o português Frederico Morais, que tinha pelo frente três duros adversários, os brasileiros Jesse Mendes e Thiago Camarão e o australiano Cooper Chapman. O heat que tinha feito não fase anterior nunca chegaria para passar esta bateria e “Kikas” sabia disso, por isso tratou de arranjar uma boa estratégia.

E foi isso que fez, competiu impecavelmente durante a maior parte do heat e apesar de no fim ter deixado a porta aberta para os seus adversários recuperarem “terreno”, o heat já estava ganho. Mas não foi só a sua estratégia, (de lutar para abrir com uma onda forte antes dos seus adversários e ir melhorando a sua posição) que estava boa. Também o seu surf estava, como dizem os comentadores norte-americanos “on point”. Quando a onda estava de pé Kikas atacava o lip com fortes batidas e reentries, e nas secções mais moles o seu “arco” soltava muita água e garantia grandes scores. Morais acabou o heat na frente, seguido do perigoso Jesse Mendes, enquanto que o poderoso Thiago Camarão apenas conseguiu apanhar uma onda de consequência, sendo assim eliminado em terceiro lugar à frente de Chapman.

Poucas horas mais tarde Nicolau Von Rupp liderava o seu heat contra um australiano, um norte-americano e um brasileiro, com um par de notas na casa dos 4 pontos. Já com estas notas medianas a contar Nic optou por esperar um pouco por ondas ainda melhores e aumentar assim o score. Mas foram os seus adversários Mitch Coleborn e Pat Gudauskas que conseguiram melhorar as suas situações, colocando cada um duas notas acima dos 6 pontos. A Von Rupp não faltou surf mas as suas ondas eram mais fracas, nesta fase estranha da maré, e não conseguiu substituir nenhuma das suas notas, perdendo assim em terceiro à frente do “carrasco” de Mick Fanning no WCT do Brasil, David do Carmo.

No fim deste dia a “Armada Lusitana” ficou mais uma vez reduzida a metade, mas o nosso “resistente” já deu provas de ter pontencial de chegar ainda mais longe. O próximo heat de Frederico Morais será o segundo do round 4, contra Billy Stairmand e Josh Kerr.

Acompanha tudo em directo AQUI!

Comentários

Os comentários estão fechados.