Com ondas que não passavam de um metro o Corona Bali Protected arrancou logo no primeiro dia do período de espera. Apesar de pequeno, em comparação a edições passadas, as condições estavam bastante divertidas e a grande maioria dos heats da prova masculina foram muito disputados.

O destaque do dia foi claramente Filipe Toledo, que surfou num nível acima a todos os outros. Tudo começou com uma onda com três manobras, duas delas impressionantes, e na terceira onda fez o aéreo mais alto e com melhor rotação do dia. Durante muito tempo Peterson Crisanto e Jacob Willcox estiveram em combinação para primeiro, situação da qual Crisanto saiu na última onda, ficando a precisar apenas de 9.9 pontos.

Quem também fez bom surf foi Kelly Slater, que bateu Kolohe Andino e Ryan Callinan com a onda mais impressionante que fez este ano. John John Florence, Ítalo Ferreira, Yago Dora, Mikey Wright e Michel Bourez também venceram os seus heats mas foi o surfista local, Rio Waida, que realmente levou o publico ao rubro quando venceu a sua bateria. Este que é provavelmente o mais promissor surfista indonésio da actualidade mostrou um surf muito polido e radical, batendo inclusivamente o campeão mundial em título, Gabriel Medina e empurrando Deivid Silva para a repescagem.

Mas foi na categoria feminina que realmente houve surpresas. Os experts da WSL apontavam, e com razão, Carissa Moore como a grande favorita a “levar” esta etapa mas neste primeiro round a havaiana não conseguiu acompanhar Brisa Hennessy e Keely Andrew e caiu para a repescagem. E não foi a única surpresa, também a vencedora da etapa passada, Courtney Conlogue, caiu para a repescagem às mãos de Tatiana Weston-Webb e Bronte Macauley. Em destaque estiveram Sally Fitzgibbons e Johanne Defay, que venceram as suas baterias confortavelmente.

Tudo indica que o Corona Bali Protected regressa dentro de horas, acompanha tudo em directo AQUI!

 

Comentários