O dia 2 do Bom Petisco Cascais Pro era um dos mais importantes da época competitiva na Liga MEO Surf de 2018, pois qualificava 8 surfistas para as fases finais.

O primeiro heat do round de 16 tinha dois candidatos ao título nacional, Tomás Fernandes e João Kopke, um ex-candidato ao título, Eduardo Fernandes, e o líder da Liga MEO Surf de 2018, Gony Zubizarreta. Muito estava em jogo para todos e o surfista da Ericeira, Tomás, tratou de bater com força no lip nas suas duas primeiras ondas para garantir logo duas notas altas, 6.25 e 4.25. Gony começou devagar enquanto que Kopke na sua segunda onda fez um forte carve, seguido de duas manobras menos explosivas, recebendo uma nota de 4.25. Na onda seguinte João bateu no lip duas vezes, para conseguir uma nota de 4.5, o que o colocou em segundo lugar com Zubizarreta precisar de 4.05 para roubar a sua posição. Gony continuou a trabalhar e com facilidade subiu novamente à segunda posição, o que deixou Kopke a precisar de uma onda de 5.4 pontos nos minutos finais. Infelizmente, para ele, não apareceu mais qualquer onda com potencial e assim acabou a sua melhor época competitiva de sempre, enquanto que Gony saiu da água como campeão da Liga.

Miguel Blanco era o único candidato que nesta fase não tinha um confronto directo com qualquer um dos seus rivais na disputa pelo título. No entanto, os seus adversários eram alguns dos mais fortes de toda a prova, Kiron Jabour, Afonso Antunes e Ruben Gonzalez. Apesar disso a poucos minutos Miguel liderava confortavelmente e segurava a prioridade, com Kiron Jabour em segundo. A situação não mudou e o surfista da Linha do Estoril manteve-se na disputa pelo título de campeão nacional e pelo wildcard para o MEO Rip Curl Pro Portugal.

Seguiu-se o super heat da fase, onde estavam os três outros candidatos ao título, Vasco Ribeiro, Filipe Jervis e Pedro Henrique. Daqui saíam apenas um ou dois candidatos, já que o quarto elemento desta prova era Gonçalo Vieira, a grande revelação da prova, que já tinha “despachado” nomes como João Guedes e Marlon Lipke. Pedro Henrique parecia meio adormecido na prova até aqui mas antes que os seus adversários tivessem surfado qualquer onda já tinha dois scores fortes a contar, abrindo assim a bateria na liderança. Vieira também começou bem, com duas ondas com manobras fortes e chegou a ocupar a segunda posição. Isto até Vasco finalmente apanhar uma onda com algum potencial e com muita água a sair das suas manobras fez 6 pontos e colocou-se de imediato numa boa posição para avançar. Com a onda seguinte Ribeiro passou para primeiro e Filipe logo de seguida tratou de atacar o segundo lugar de “Pedrinho”. Jervis conseguindo fazê-lo, mas apenas provisoriamente pois Henrique usou bem a sua prioridade para fazer uma boa onda com duas manobras fortes para a esquerda e pontuar 5.25, o que lhe deu a liderança, enquanto que Filipe foi eliminado em 3º lugar e Gonçalo em quarto lugar.

Notícia em actualização…

Cenários actuais na disputa pelo título:
Vasco Ribeiro, Pedro Henrique e Miguel Blanco continuam dependentes apenas de si próprios e um triunfo no Bom Petisco Cascais Pro garante o título a qualquer um deles;
Tomás Fernandes precisa de vencer e esperar que Vasco Ribeiro e Miguel Blanco não cheguem à final;

Comentários