Dia de poucos heats e grandes derrotas no Allianz Caparica Pro

publicado há 2 anos por 0

ALLIANZ-CAPARICA-PRO-DIA-2-2015

Como prometido no dia anterior o Allianz Caparica Pro arrancou cedo com o round de 16 mais competitivo dos últimos anos. A presença de três surfistas menos regulares no circuito nos últimos anos, Tiago Pires, Pedro Henrique e Justin Mujica vieram acrescentar nível de surf e competitividade a este já competitivo circuito.

Que o diga Francisco Alves, foi o vencedor desta prova em 2013 e calhou com os três no seu primeiro heat do dia. As ondas estavam com meio metro, sem vento mas com pouca força e com algumas direitas bastante longas na Praia do Dragão Vermelho. Alves surfou bem e no início do heat ameaçou a qualificação para o round seguinte, mas faltou-lhe apanhar ondas do set, acabando em quarto lugar. Por sua vez Pedro Henrique começou bem e não olhou mais para trás, pontuando 10 pontos na melhor onda que entrou todo o dia, graças a potentes snaps e uma paulada a soltar o tail.

A grande disputa do heat, e do dia, foi entre Tiago Pires e Justin Mujica. Nos últimos minutos Saca apanhou uma onda pequena mas encaixou alguns carves, uma batida e finalizou com um reentry, quando precisava de 5.6. O público ficou dividido em relação à pontuação dessa onda, que acabou com a nota de 5.8. Muitos, talvez por serem mais fãs de Justin, acharam que a nota não seria suficiente, enquanto que outros, mais admiradores do estilo de surf do Saca acharam justa. No fim de contas foi um confronto entre curvas de rail e manobras de lip, e foi o rail que saiu vencedor.

Este estava longe de ser o único heat difícil do dia. Logo na bateria anterior, Vasco Ribeiro e Gony Zubizarreta destacaram-se surfando várias direitas quase na perfeição, eliminando Nicolau Von Rupp e Miguel Blanco. No terceiro heat Tomás Fernandes começou bem, surfando as direitas do Dragão com se fossem Ribeira D’Ilhas. No último terço do heat Frederico Morais passou para a frente e assistiu-se a um jogo do gato e do rato até ao fim pois Zé Ferreira precisava da prioridade se quisesse dar a volta ao resultado e Tomás não podia abdicar dela. No fim foi o surfista da Ericeira que ganhou esta disputa e avançou deixando Ferreira e Guilherme Fonseca.

E para terminar a fase mais um heat equilibrado. Marlon Lipke era o surfista mais pesado da bateria mas não parecia pois simplesmente destruiu de backside e venceu a bateria. Filipe Jervis também surpreendeu e depois de um ano muito pobre a nível competitivo mostrou grande forma e garantiu-se nos quartos de final man on man pela segunda vez em duas provas. Eliminados ficaram Ruben Gonzalez e João Kopke.

De seguida a prova passou para os quartos de final femininos e o destaque do dia foi a irmã de Pedro Henrique, Carol, que ficou com a melhor média feminina do dia. Entretanto a prova parou devido à maré e foi feito um novo call para as 16 horas No entanto as condições deterioraram-se e o campeonato não avançou mais. O último dia de prova começa a partir das 7:15, acompanha tudo em directo AQUI!

Comentários