Pelo segundo dia consecutivo a praia do Guincho amanheceu com boas ondas e sem vento e o Billabong Pro Cascais e Cascais Women’s Pro começou cedo.

As ondas estavam um pouco maiores e ainda mais limpas que no dia anterior, o que garantiu bom surf desde o primeiro heat. Os primeiros a entrar na água foram os competidores dos dois heats que faltavam do round 2 e Wade Carmichael abriu a sua prestação em Cascais com uma das melhores ondas do dia. O australiano, que no ano passado ficou à porta do CT, encheu uma direita de bons carves, garantindo 8 pontos e a eventual vitória, seguido do líder do circuito de qualificação, Leonardo Fioravanti.

Depois de Dimitri Ouvre vencer a bateria seguinte com manobras fortes nas finalizações de backside, a prova passou para os quartos de final femininos. Ainda em jogo estava a possibilidade de coroar uma campeã mundial já nesta etapa, mas Courtney Conlogue não podia passar mais qualquer bateria e Tyler Wright teria de vencer a prova. Mas cedo se percebeu que isso não iria acontecer pois Courtney estava a ser o grande destaque da prova e, com grandes rasgadas, reentries e um floater pesado e impressionante, deixou Malia Manuel em combinação e obrigou a WSL a enviar a taça para França.

Tyler Wright também fez as suas curvas poderosas, mas não surfou ao mesmo nível durante o heat ou mesmo durante a prova. Mesmo assim conseguiu bater Sage Erickson e avançar para as meias finais juntamente com Johanne Defay e Coco Ho, que eliminou Carissa Moore no último heat da fase.

Nas meias finais Tyler fez o seu melhor heat até aí, usando mais uma vez a sua forte rasgada para bater Defay. Mesmo assim Courtney conseguiu aumentar ainda mais a fasquia e com o melhor tubo da prova, que lhe garantiu a nota de 9.33. Alguns heats masculinos mais tarde, que sempre intercalavam entre os rounds femininos, Wright e Defay entraram na água para disputar os 2.000 pontos que separavam a primeira da segunda classificação nesta etapa. Antes de chegar a Cascais Tyler liderava com uma vantagem de mais de 7.000 pontos, mas no fim do dia esta liderança estaria ligeiramente reduzida.

As duas competidoras optaram por surfar picos diferentes, Courtney manteve-se em frente ao palanque enquanto que Tyler foi mais para meio da praia. E como aconteceu com quase todos os competidores que apostaram nesse pico com a maré a encher, Wright ficou a perder. Mesmo assim, na sua última onda, a australiana ainda deu tudo numa boa direita mas foi pouco e tarde e Conlogue saiu da água campeã pelo segundo ano consecutivo!

 

Comentários

Os comentários estão fechados.