O Paul Mitchell Supergirl Pro terminou com uma final (e meias finais) 100% dominada por surfistas do Championship Tour. Carissa Moore está a ter o pior ano da sua carreira no CT mas, mesmo assim, não precisa dos pontos do circuito QS. Apesar disso a havaiana arrancou para Oceanside, Califórnia, para disputar esta etapa de 6.000 pontos, que acabou por vencer.

Em segundo lugar ficou a surfista que já liderava o circuito de qualificação, a mais nova rookie de sempre no CT, Caroline Marks. Com os pontos que amealhou, Caroline passou os 20.000 pontos, deixando a segunda classificada, Coco Ho, 7.000 pontos atrás.

Quem não conseguiu melhorar nesta etapa foram as surfistas lusas. Carol Henrique e Camilla Kemp venceram os seus primeiros heats, mas foram eliminadas na segunda fase. Camilla caiu 3 posições no ranking, passando para o 53º lugar, e Carol caiu 5 lugares, passando para a 59ª posição.

Teresa Bonvalot tinha mais em jogo nesta etapa. Há alguns meses a portuguesa ocupava a 10ª posição no ranking, caindo para a 13ª depois do Los Cabos Open of Surf, e depois para a 14ª devido à vitória de Brisa Hennesy na África do Sul. Por não ter pontuado nesta etapa Teresa voltou a cair mais uma posição mas, pior que o seu resultado foi o facto de algumas competidoras, como Brisa e Phillipa Anderson terem solidificado as suas posições no top10. Mas nem tudo está perdido, pela frente ainda estão 2 etapas QS 6.000, o Pantin Classic Galicia Pro e Port Stephens Toyota Pro e duas QS 3.000, o que poderá garantir grandes subidas às surfistas portuguesas.

Comentários