Brasileiros destacam-se no Oi Rio Pro mas Slater domina | Dia 2

publicado há 2 anos por 0

OI-RIO-PRO-DIA-2-2015

Se no primeiro dia do Oi Rio Pro a ondulação não fez o que se esperava, no segundo as condições superaram as expectativas. As ondas chegavam aos dois metros na Barra da Tijuca, proporcionando secções pesadas e bons tubos para quem tivesse a sorte e habilidade de os apanhar.

Foi Jeremy Flores quem “abriu as hostilidades” com um par de tubos e uma vitória em cima de Brett Simpson e Taj Burrow. Brett ficou muito perto de dar a volta ao resultado com duas fortes batidas de backside no minuto final, mas este foi um dia em que tinha de se fazer tubos para vencer. Logo de seguida Kelly Slater aumentou a fasquia para um patamar que mais ninguém conseguiria alcançar. Começou com um bom tubo para a esquerda, seguiu-o com um tubo numa secção seca e pesada para a direita e terminou com mais do mesmo, mas melhor. Caso os júris tivessem caído na tentação de dar uma nota 10 no seu primeiro grande tubo teriam de acabar o heat com mais um score perfeito, mas foram calculistas e Kelly “apenas” recebeu 9.50 e 9.77.

Mas o grande destaque do dia foram os surfistas brasileiros, que limparam quase todos os heats em que entraram. As excepções foram os wildcards, que também perderam para outros brasileiros e Miguel Pupo que perdeu por 0.5 para Matt Banting, batendo ainda Julian Wilson.

Entre os surfistas da casa dois estiveram acima da média, Adriano de Souza e Filipe Toledo. Adriano é capaz de ser o atleta mais focado do circuito e fez um heat incrível. Começou com combinações de duas manobras, batida ou rasgada no outside e floater ou reentry no inside, recebendo logo um par de notas de 8 pontos. E a meio do heat fez a onda mais impressionante do dia, um tubo pesado mas completado com grande controle que poderia ser uma nota 10, mas os júris continuavam a jogar à defesa e deram 9.73, batendo assim Kai Otton e David do Carmo.

No início do heat de Toledo VS Andino e Melling o californiano parecia estar pronto para vingar a derrota na Gold Coast, começando muito bem a bateria. Kolohe até deu um grande aéreo reverse de backside, mas a aterragem não foi boa e não pontuou alto. Filipe respondeu na mesma moeda, com dois aéreos muito altos e quando acertou o segundo tinha o heat ganho.

Quando o round 1 terminou começou a prova feminina, que avançou sem grandes surpresas, excepto na vitória de Keely Andrew sob Tyler Wright e Coco Ho.

Acompanha o próximo dia de prova em directo AQUI!

Comentários