O décimo dia do período do Hurley Pro Trestles foi um dos mais carregados de acção de todo o ano, e no final do dia apenas 8 surfistas se mantinham em prova.

Entre os top6 apenas dois surfistas ficavam fora dos quartos de final, o que deixará o ranking ainda mais equilibrado ao fim desta etapa. Michel Bourez perdia por muito pouco para Jordy Smith no primeiro heat do round 5, enquanto que um erro de Taj Burrow praticamente ofereceu o heat a Kelly Slater. O 11x campeão do mundo tem o hábito de ficar a precisar de uma nota excelente contra Taj Burrow e virar a bateria no fim. Desta vez precisava de menos que 8 pontos mas Taj parecia ter o heat na mão. Nos últimos segundos tinha a prioridade e apareceu uma onda mas o australiano por alguma razão difícil de perceber deixou a onda passar. Slater teve de fazer um aéreo, um reverse incrível e algumas rasgadas para fazer a nota mas conseguiu e manteve-se na luta pela vitória.

Gabriel Medina também se mantém na disputa pelo primeiro lugar mas nem sempre se mostrou no melhor ritmo. Em algumas ondas para a esquerda deu bons voos mas não recebeu grandes notas, obrigado-o a mudar de estratégia, surfando as direitas e mesmo sem voar conseguiu fazer uma nota excelente e vencer o seu heat do round 4.

Mas dois surfistas estiveram acima da média neste dia, Adriano de Souza e John John Florence. Adriano começou o dia com um heat muito difícil contra o ultra radical Filipe Toledo. De Souza respondeu aos aéreos de Toledo com alguns voos, batidas no lip a soltar o tail e snaps potentíssimos. Os dois empataram nas melhores duas, três e quatro ondas, ficando o mais veterano dos dois com a vantagem pela sua excelente quinta onda. No seu heat do round 5, contra Owen Wright, Adriano abriu com uma onda de 9 pontos, deixando o seu adversário combinado. O único heat que perdeu o não eliminatório no round 4 contra John John Florence.

Mesmo tendo pontuado 17,94, uma média excelente, “Mineirinho” nada conseguiu fazer contra um inspiradíssimo John John Florence. O havaiano fez o que foi provavelmente o seu melhor heat no WCT, tendo pontuado acima dos 9,0 em cinco ondas, vencendo com facilidade. John John fez um pouco de tudo, principalmente carvings e aéreos, mostrando a razão pela qual muitos o consideram o melhor surfista da actualidade.

Quando acabou o round 5 acabou entrou na água o ASP Heritage Series, um heat que “recupera” grandes confrontos e rivalidades do passado. Desta vez era Martin Potter contra Brad Gerlach, e foi o norte-americano Gerlach que venceu, com um surf muito mais actual que o do ex-campeão mundial. Acompanha o próximo dia de prova em directo AQUI!

Comentários

Os comentários estão fechados.