O ano de 2021 vai ser um ano de estreia em alguns formatos da WSL. Será o primeiro ano em que o título mundial será decidido num evento à parte, reservado apenas para o top5 do ranking, uma alteração que seguramente será muito positiva a nível de audiências mas que poderá perder um pouco da “justiça desportiva”.

Também os Challenger Series apresentam algo de novo, uma qualificação regional e mais uma oportunidade para os tops do CT que perderam a vaga no circuito principal, recuperar os seus lugares na elite.

Serão 4 as provas deste circuito que irão qualificar os restantes membros do Championship Tour de 2022:
– US Open of Surfing: Huntington Beach, Califórnia, EUA
20 a 26 de Setembro
– MEO Pro Ericeira: Ericeira, Portugal
2 a 10 de Outubro
– Quiksilver/ROXY Pro France: Capbreton/Hossegor/Seignosse, Landes, França
16 a 24 de Outubro
– Haleiwa Challenger: Haleiwa, Havai, EUA
25 de Novembro a 7 de Dezembro

Qualificados para competir nestes eventos estão apenas dois surfistas nacionais, Vasco Ribeiro na categoria masculina e Teresa Bonvalot na feminina. A apenas uma vaga da qualificação na prova feminina ficou Yolanda Hopkins, em 10º lugar no ranking Europeu, enquanto que Carolina Mendes também ficou à porta, em 12º lugar. Poderão, mais tarde, aparecer mais algumas vagas, já que o formato contabiliza todos os surfistas do top34/top17 do CT e nem todos estarão presentes nos 4 eventos. Frederico Morais, como top do CT, tem vaga garantida nos eventos, mas é praticamente garantido que estará no tour em 2022 via Championship Tour.

Mais novidades em breve…

 

Comentários