4 portugueses no round 2 do Allianz Billabong Pro Cascais | Dia 3

publicado há 2 anos por 0

allianz-billabong-pro-cascais-dia-3-1

O Allianz Billabong Pro Cascais arrancou no dia 3 do período de espera e a acção aconteceu com heats em simultâneo em dois picos diferentes.

Os dois primeiros heats começaram às 8 horas da manhã e havia cores nacionais na água a “abrir” o evento. Tomás Fernandes, wildcard nesta prova, tinha como adversários Tom Whitaker, Santiago Muniz e o bicampeão do evento, Jadson André. Foi Tomás quem abriu a bateria e manteve-se bastante activo durante too o heat. As suas duas últimas ondas valeram-lhe 7.33 e 7.07, o que lhe garantiu a vitória no heat, seguido de Whitaker, com Jadson e Muniz em 3º e 4º lugares.

Logo de seguida estava Vasco Ribeiro, também em grande forma, com um surf de backside afiado. O campeão mundial júnior liderou grande parte da bateria, sendo apenas superado por Nate Yeomans no fim, mas garantindo o segundo lugar sobre o francês Vincent Duvignac e um surfista brasileiro que está praticamente garantido para o CT de 2016, Alex Ribeiro.

Frederico Morais entrou no heat 5, contra Tanner Gudauskas, Keanu Asing e Kiron Jabour. Morais é local desta praia e isso fez a diferença no fim. Conhecendo bem o Guincho, “Kikas” sabia que a qualquer momento poderia aparecer uma onda com parede e não baixou a guarda por estar a precisar de uma nota alta, um 7.7. A onda apareceu e Frederico encheu-a de pauladas de backside, recebendo a nota de 8.1 já depois do toque, passando de 4º para 1º lugar no heat.

Em simultâneo, no outro pico, estava outro português a competir, Zé Ferreira. Também local desta praia, Zé conseguiu neste mesmo evento em 2014 o resultado que lhe garantiu a presença nas provas Prime no fim do ano e esperava-se outro grande resultado. Mas Ferreira não conseguiu apanhar as ondas que precisava para avançar, apesar de ter estado bastante activo e foi eliminado a precisar de 6,48, perdendo para David do Carmos, Joan Duru e Tanner Hendrickson.

Também Marlon Lipke e Miguel Blanco competiram ao mesmo tempo mas em bancos diferentes, nos heats 11 e 12. Marlon Lipke conhece bem a praia do Guincho, já tendo vencido etapas do QS e Liga MOCHE aí, mas desta vez não se conseguiu posicionar como gostaria e acabou eliminado por Stu Kennedy, Jesse Mendes e Mason Ho a precisar de 6.78. Blanco precisava de menos, apesar de ter um heat igualmente difícil contra Pat Gudauskas, Aritz Aranburo e Jeremy Flores. Miguel deu tudo em várias ondas mas estas não tinham potencial e acabou também eliminado.

Depois foi a altura de Pedro Henrique e Nicolau Von Rupp enfrentarem as ondas pequenas do Guincho. Henrique foi “vítima” do power surf de Willian Cardoso e do ritmo de CT de Ítalo Ferreira, que fizeram duas notas fortes cedo na bateria. Henrique passou a bateria toda à procura de oportunidades e no fim conseguiu uma onda boa, recebendo a nota de 7.2. Mas não foi suficiente e acabou por perder a precisar de 7.50. Nicolau foi muito selectivo e surfou muito bem a única onda realmente bom que apanhou, uma curta esquerda em que encaixou um forte snap e um reentry abusado. No fim só precisava de uma onda semelhante para fazer 5.08 e avançar, mas ela não apareceu e foi eliminado. Com a derrota Nic fica também fora de disputa pelo wildcard no MOCHE Rip Curl Pro Portugal!

Tiago Pires competiu no fim da fase contra Connor O’Leary, Josh Moniz e Alejo Muniz. Com a maré a encher as ondas começaram a ter menos força no outside mas ofereciam secções “bonus” no inside para quem insistia em fazer a transição. Saca demorou um pouco a ganhar ritmo mas finalizou bem o heat. Na sua melhor onda deu algumas manobras no outside mas foi quando chegou ao inside que se soltou, fazendo um forte carve e um bom reentry. A nota saiu mais baixa do que se esperava, apenas 6.1, deixando-o a precisar de mais uma onda para chegar ao segundo lugar. Mesmo no fim da bateria fez mais uma onda semelhante, talvez não tão forte até mas os júris pareciam estar a “compensar” a nota anterior e o português avançou para o round seguinte!

Acompanha o resto da prova em directo AQUI!

Heats com portugueses
Round 2
Heat 1: Tomás Fernandes x Davey Cathels x Vasco Ribeiro x Ramzi Bouhkiam
Heat 3: Frederico Morais x David do Carmo x Ian Gouveia x Robson Santos
Heat 12: Tiago Pires x Evan Geiselman + 2

Comentários