4 em 8 portugueses avançam no dia 1 do Sata Azores Pro

publicado há 1 ano por 0

SATA-AZORES-PRO-DIA-1

Foi nos Açores que começou a importante perna da WSL, a Portuguese Waves Series, com o Sata Azores Pro Presented by Sumol. A Praia de Santa Barbara tem sido, ao longo dos anos, sinónimo de consistência e qualidade no circuito e mais uma vez não desiludiu para o primeiro dia de prova.

As ondas rondavam o metro e meio nos sets e apesar de estarem um pouco “bumpy”, a maior parte dos heats tiveram ondas boas para quem as soube escolher.

Dois portugueses, Marlon Lipke e Nicolau Von Rupp, estavam no segundo heat do dia e tinham como adversários Jesse Mendes e a bombinha nipónica Hiroto Ohhara. Nicolau e Hiroto foram os mais activos, apanhando quase o dobro das ondas dos seus adversários, e conseguindo duas notas medianas cada. Entretanto Marlon e Jesse conseguiram apanhar duas ondas cada um pouco melhores e passaram para a frente, ficando Lipke em primeiro, Mendes em segundo, Nicolau em terceiro e Hiroto em quarto.

Tiago Pires estava no heat 5 contra William Cardoso, Adrian Toyon e o top do CT Ricardo Christie. O português era o favorito para vencer a bateria mas a sua escolha de ondas não foi a melhor. Saca fez bom surf mas faltaram ondas com boas secções para fazer os seus carves e acabou eliminado em 4º lugar, enquanto que Toyon e Cardoso avançaram.

Pedro Henrique competiu logo de seguida e surfou com a sua velocidade habitual, liderando quase a bateria toda. No fim do heat o surfista que estava em quarto lugar (destacado), Hizunome Bettero, apanhou duas boas esquerdas e virou o heat, deixando Henrique em segundo, Davey Cathels em terceiro e Tim Reyes em quarto.

Zé Ferreira, no heat 7, foi uma das surpresas do dia pois passou uma das baterias mais competitivas da fase. Os seus adversários eram Connor O’Leary, Charly Martin e Mateia Hiquily mas o surfista do Guincho não se deixou intimidar. Connor foi o melhor surfista da bateria mas Zé foi muito forte de backside, com fortes rasgadas e batidas, e conseguiu a qualificação em segundo lugar.

Seguiu-se Tomás Fernandes, que surfou contra David do Carmo, Dion Atkinson e Sebastian Zietz. Foi um heat bastante equilibrado e no fim pouco mais de 2 pontos separava o primeiro e quarto lugares. Sebastian foi superior aos adversários, conseguindo os seus scores com facilidade e vencendo a bateria. Tomás também fez bom surf, com manobras fortes nas poucas secções que apanhou. Infelizmente, para passar, precisar de ter encontrado mais uma secção manobrável em cada uma das suas duas melhores ondas e acabou em quarto lugar a precisar de pouco para avançar, com Atkinson em segundo e do Carmo em terceiro.

Por último, já que Vasco Ribeiro estava no último heat da fase e a prova não chegaria aí, competiram Frederico Morais e Jácome Correia, contra Jadson André e Tom Whitaker. A experiência de Jácome neste pico acabou por não ser um factor, pois as ondas estavam bastante incertas. O wildcard não conseguiu soltar o seu surf e terminou em quarto lugar enquanto que Morais fez o melhor heat da fase até aí. “Kikas” conseguiu apanhar uma boa direita e fez uma das suas conhecidas curvas de rail, seguido de mais duas manobras “power” para receber 8,60. Foi nas esquerdas que apostou para conseguir o seu back up e foi bem sucedido, vencendo a bateria com Jadson em segundo e Whitaker em terceiro.

O maior destaque do dia foi o surfista da Costa Rica, Noe Mar, que abusou do seu backside e fez várias notas excelentes. O Sata Azores Pro continua amanhã. Acompanha tudo em directo AQUI!

Heats com portugueses:
Round 1
Heat 16: Miguel Pupo x Cooper Chapman x Vasco Ribeiro x Timothe Bisso
Round 2
Heat 1: Brent Dorrington x Marlon Lipke x Nate Yeomans x Connor Coffin
Heat 3: Adrien Toyon x Hizunome Bettero x  Zé Ferreira x Dion Atkinson
Heat 4: Sebastien Zietz x Connor O’Leary x Pedro Henrique x William Cardoso
Heat 7: Frederico Morais x Carlos Munoz x Jonathan Gonzalez x Alejo Muniz

Comentários