Campanha portuguesa nos QSs da Austrália começa com derrota

publicado há 5 meses por 0

Flight-Center-Burleigh-Pro-Dia-1

Como habitual, foram vários os surfistas nacionais a voar para a Austrália para competir nos muitos QS que este continente recebe no início do ano.

O Flight Center Burleigh Pro é a primeira de seis etapas do QS realizado na Austrália durante o próximo mês e meio. Portugal está bem representado por vários nomes nesta etapa, mas nas próximas semanas mais portugueses se juntarão aos que já se encontram em águas australianas.

Luis Perloiro, Jácome Correia, Pedro Coelho e Tomás Fernandes são os quatro inscritos neste QS1000 que iniciou as hostilidades esta noite passada.

O único português a vestir a lycra de competição foi o goofy Luis Perloiro, no heat 4 do primeiro round. Perloiro defrontava Ryland Rubens, Ben Penny e Liam O’Brien, o primeiro americano e os restantes australianos. Foi um heat altamente renhido como mostram as pontuações finais e a onda mais alta do heat, um 4.75 pontos. Perloiro acabou com um total de 6.15 pontos, o mesmo que o terceiro classificado, ficando a necessitar de um 3.61 para avançar, o que acabou por não acontecer, não começando da melhor forma as competições na terra dos koalas. O americando e Ben Penny ficaram em primeiro e segundo respectivamente.

O resto do dia viu todo o desenrolar do round 1 e no qual não estava mais nenhum português. Os próximos portugueses a vestir a lycra de competição deverão fazê-lo esta noite, e são eles Pedro Coelho no heat 6 do segundo round e Jácome Correia no heat 8. Coelho irá defrontar Mitch Parkinson, Wesley Leite e Kosei Sawamura, enquanto Jácome tem pela frente nomes como Blake Levett, Hinata Aizawa e Zak Condon.

Já no round seguinte, o terceiro, está o último português, Tomás Fernandes. O surfista da Ericeira tem Juninho Garcia no seu heat e aguarda os outros dois adversários.

Sendo este um QS1000 é normal que a grande maioria dos nomes presentes sejam pouco sonantes para muitos mas há também vários nomes de peso, ou não fosse a Austrália um dos países com mais nível de surf do mundo. Richard Christie e Nathan Edge são dois exemplos a que se juntam nomes como Mitch Crews (ex-CTista), Luke Hynd, Dylan Lightfoot, e, talvez o mais sonante de todos, Bede Durbidge.

De relembrar que Durbidge, surfista do CT, esteve quase um ano fora de água devido a uma grave lesão no final de 2015. No final do ano passado competiu no Hawaii mas sem dúvida que a Triple Crown não foi o suficiente para soltar todo o pó dos longos meses que passou a curar a lesão e a fortalecer o corpo. Certamente que a sua presença neste QS1000 tem apenas o objectivo de ganhar o máximo de ritmo competitivo possível, e, na realidade, não há melhor que o circuito QS para tal!

Podes acompanhar o Flight Center Burleigh Pro ao vivo (scores) aqui!

Comentários