3 portugueses no round de 16 na Costa Rica

publicado há 6 meses por 0

3-surfistas-lusos-no-round-de-16-do-essential-costa-rica-open

No ano de 1994 a Costa Rica fez a sua estreia no circuito de qualificação da WSL (na época, ASP). Na altura Portugal tinha um surfista a correr o circuito, Rodrigo Herédia, que fez nessa etapa (o Billabong Costa Rica Challenge) a primeira presença lusa nos quartos de final de final de uma prova QS.

Cerca de 22 anos mais tarde os surfistas portugueses já têm outro estatuto na mais importante Liga de surf do mundo e a presença de três competidores no round de 16, o equivalente aos antigos quartos de final, é a prova dessa evolução. O Essential Costa Rica Open, etapa QS 3.000, não começou bem para os 2 dos 5 surfistas lusos presentes nesta prova, que foram eliminados no round 2.

Mas Vasco Ribeiro, Frederico Morais e Tomás Fernandes tiveram sucesso. Os três deixaram para trás a disputa pelo título da Liga MOCHE ou, no caso de Tomás, uma subida no ranking, para perseguir pontos QS e até agora estão a ter sucesso.

Vasco foi o primeiro a competir, no heat 2 do round 4, e passou em segundo atrás de Luel Felipe mas à frente do “wondergrom” Samuel Pupo e de Jose Lopez. Seguiu-se Tomás, que fez um heat bastante semelhante ao de Ribeiro, tendo passado também em segundo lugar, atrás de Miguel Tudela mas à frente de Wesley Leite e de Nolan Rapoza. Já Frederico conseguiu vencer o seu heat, graças a duas primeiras ondas fortes, deixando para trás Matt Passaquindici, Rafael Teixeira e Kevin Sullivan.

No round 5 os três estavam em heats seguintes, o que deixava a hipotese de calharem no mesmo heats mais à frente. Fernandes foi o primeiro na água e mostrou que tem surf de sobra para se dar bem neste circuito. O local da Ericeira venceu o heat, deixando atrás de si Santiago Muniz, Luel Felipe e Tales Rodrigues. Entretanto Ribeiro fez a melhor média entre os portugueses, 16.33, graças a notas de 8 e 8.33. Mesmo assim só deu para passar em segundo lugar uma vez que o top10 do circuito, Ethan Ewing, abriu com uma onda de 9.5 e acabou com uma de 8.72. E, pelo segundo heat consecutivo, as duas primeiras ondas de Morais garantiram-lhe a vitória. Kikas fez ondas de 7.93 e 5.97 para bater o local Noe Mar McGonagle e ainda Alonzo Correia e Lucas Silveira.

Acompanha a evolução desta prova AQUI.

Heats com portugueses
Round 6
Heat 1| Tomas Fernandes x  Noe Mar McGonagle x Ethan Ewing x Luke Dillon
Heat 2 | Vasco Ribeiro x Santiago Muniz x Jordy Collins x Frederico Morais

Comentários